sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Agosto Dourado



        Dando seguimento ao post anterior, decidimos trabalhar um pouco mais o assunto destinado ao mês de agosto: a promoção do aleitamento materno. Como forma de trabalhar melhor esta temática, a semana mundial da amamentação de 2017 abordou o fato do ato de amamentar ser muito mais que uma forma de nutrir o lactente. O leite materno contribui para a saúde do bebê e de sua mãe, além de ser uma forma sustentável de proteger o meio ambiente favorecendo  diminuição da emissão de gás carbônico e contribuindo para atingir as metas do milênio. 


Sustentada pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, a campanha apresenta como título: AMAMENTAR. NINGUÉM PODE FAZER POR VOCÊ. TODOS PODEM FAZER JUNTO COM VOCÊ. Sendo este um modo eficaz de fortalecer a prática da amamentação na sociedade e atingir o desenvolvimento Sustentável do planeta até 2030.





Resultado de imagem para você sabia?

  • Nas indústrias, estima-se que mais de 4000 litros de água sejam necessários para produzir 1 kg de pó de fórmula infantil;

  • A desnutrição, incluindo a não amamentação contribui para 45% de todas mortes de crianças com menos de 5 anos de idade anualmente;

  • A não amamentação está associada a perdas econômicas de cerca de US$ 302 bilhões anualmente ou 0,49% da renda nacional bruta (RNB) per capta;

  • Em média, os bebês amamentados têm um quociente de inteligência (QI) de 2,6 pontos superiores aos bebês não amamentados, com diferenças maiores para duração mais longa da amamentação;

  • Para cada mês adicionado a licença-maternidade remunerada, reduz em 13% a taxa de mortalidade infantil;

  • Apenas 53% dos países atendem ao padrão mínimo da Organização Internacional do Trabalho-OIT de 14 semanas de licença-maternidade.











sexta-feira, 11 de agosto de 2017

AGOSTO DOURADO, MÊS DEDICADO AO ALIMENTO PADRÃO OURO: O LEITE MATERNO

Resultado de imagem para agosto dourado

Você sabia que a amamentação exclusiva até o sexto mês é uma estratégia capaz de salvar a vida de 13% de crianças menores de 5 anos, por prevenir problemas de saúde, como as doenças infecciosas? E que isso corresponde a 6 milhões de crianças salvas por ano?
Sendo  considerado como alimento único, econômico, sustentável e mais completo para o bebê, o leite materno possui uma composição variada conforme a necessidade do seu filho (a). Este, além de ter os nutrientes básicos  que promovem o adequado crescimento e desenvolvimento infantil, também, contêm mais de cem componentes (por exemplo, anticorpos, células de defesa, e até células-tronco) que não podem ser replicados no leite artificial.   
Mesmo diante de tantos benefícios, muitas vezes, as novas mães por não ter o devido apoio de seu companheiro, familiares e não conseguir conciliar com sua rotina de trabalho, a fase de amamentação exclusiva (até os 6 meses de idade) acaba sendo prejudicada. Por essa razão, as chances do desenvolvimento de doenças como a anemia, alergias, infecções, intolerâncias e obesidade tem aumentado, além da maior frequência de cólicas e interferência no desenvolvimento da fala e respiração do bebê.
Vale ressaltar também, que, a falta de amamentação também é desfavorável à mulher, pois pode aumentar as chances de hemorragias e anemias pós-parto e, futuramente, promover o desenvolvimento de câncer de mama e/ou de cólon do útero.
Em atenção à situação atual, foi instituído no dia 08 de março desse ano o Mês do Aleitamento Materno, Agosto Dourado, já que o leite humano é considerado padrão ouro de alimentação. A nova proposta aprovada pelo plenário do Senado, visa promover a amamentação e incentivar ações de conscientização e esclarecimento sobre a importância sobre o aleitamento materno não só para a sobrevivência infantil e seu adequado desenvolvimento, mas, também para beneficiar a saúde das mulheres em longo prazo.
Resultado de imagem para semana do aleitamento materno 2017O que poucos sabem é que há vinte anos, entre os dias 10 e 7 de agosto, são realizadas ações em todo o mundo voltadas para a Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM). Na qual diversas organizações governamentais e não governamentais, comunidades científicas e populares, grupos religiosos e tantos outros se mobilizam e são mobilizados para promover, proteger e apoiar a amamentação. As atividades ocorrem em parques, shoppings, praças, de modo a ter grande visibilidade.





Fontes consultadas:

domingo, 16 de julho de 2017

Balanço do Semestre

O semestre já está se findando e o PETNUT com dedicação e êxito finalizou as atividades planejadas para o primeiro semestre do ano de 2017!

Iniciamos o ano com o processo seletivo de petianos. Nos dias 16 e 17 de março foi realizada a seleção para a nova composição do grupo PET, este contou com 28 alunos inscritos da Faculdade de Nutrição de diversos períodos. 

          Nos dias 24 e 25 de março, foi realizado o INTERPET 2017 em Goiânia, que contou com a participação de vários PETs da UFG, incluindo o PETNUT. O evento propôs a discussão sobre o Programa e a integração entre petianos e tutores. Oferecemos aos petianos de outros cursos a oficina ''Por Trás dos Rótulos'', que objetivou instruir os participantes a respeito da importância de ler os rótulos dos alimentos e o que cada compartimento do rótulo significa, além de apresentar a quantidade de açúcar, óleo e sal presente em alguns alimentos industrializados muito consumidos pela população a fim de conscientizá-los sobre o que estamos ingerindo.  

O ECOPET é um evento anual dos grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) da Região Centro-Oeste. Encontro que tem como premissa fomentar o debate a respeito da educação superior e das ações desenvolvidas pelos grupos PET do Centro-Oeste no campo do ensino, da pesquisa e da extensão, com intuito de promover uma formação superior de qualidade, integrando os grupos PET desta região, ao mesmo tempo em que promove maior visibilidade e maior inserção destes no cotidiano dos respectivos cursos nas faculdades que os abrigam.

 
Participamos do Dia de Combate à Hipertensão em parceria com o Pet Fisioterapia da UEG e o Pet Enfermagem da UFG. As atividades foram realizadas no dia 7 de maio no Parque Vaca Brava. Nesta ação exploramos a proposta do sal de ervas.




         O IV simpósio PETNUT aconteceu nos dias 11 e 12 de maio no auditório da Faculdade de Odontologia com o tema “A polêmica da low carb: moda ou ciência?" O evento contou com a presença de acadêmicos das áreas da Saúde da UFG e outros profissionais. Foi um sucesso!


       Nos dias 19 e 20 de junho, Universidade Federal de Goiás realizou o Espaço das Profissões 2017 no Campus Samambaia. O grupo PET NUT-UFG foi convidado a participar da sala interativa para o curso de Nutrição. O PET NUT elaborou uma roleta e personalizou envelopes com fotos do grupo na realização de nossas atividades.



        No dia 06 de julho, participamos da realização do Pet Pirô, uma festa junina organizada pelo Pet Nutrição e Pet Enfermagem da UFG. O evento recebeu a comunidade acadêmica da Universidade, além dos familiares e amigos dos alunos participantes.



Um dos momentos marcantes do semestre foi a transição de tutoria. A nova tutora agora é a Prof. Dr. Marília Mendonça Guimarães.
Estamos ansiosos para novas experiências, propostas e ideias!